Paranoia Materna

paranoia20minutospratudoDá série textos de desabafo da Ari… Esse é um deles! Adoro ter meu espaço para desabafar! E adoro quando as pessoas se identificam! Vamos Lá?

Paranoia Materna

Com certeza você já se pegou conferindo a respiração do (a) seu filho (a). Mãe é meio paranoica. Tem que checar, conferir se está tudo bem. O problema é quando essa paranoia cresce. Quando Biel nasceu eu não acreditava que algo podia ser tão perfeito, ficava esperando algo ruim acontecer, pura paranoia. Eu chorei muito, as duas primeiras semanas foram sim de “baby blues” depois é que fui saber que existia essa “leve” depressão pós parto, e tenho certeza que tive. Mas passadas as duas semanas esperava a “coisa ruim” acontecer. Fui ficando paranoica mesmo…

Comecei a ter medo de tudo, meu primeiro medo era a tal “morte súbita’, mais uma vez paranoia. Depois te todos ao me redor me explicarem que as chances eram pequenas e o medo sem fundamento, veio outro, autismo. Biel não era um bebê que sorria pra tudo e todos, não tenho fotos dele bebê sorrindo, ele era sério, concentrado, e isso era “fora  do padrão’ para mim, logo a paranoia voltou. Comecei a ler tudo que podia sobre o tema, e a paranoia só crescia. Eu chorei, chorei dias seguidos, até que entendi que eu precisava de ajuda. Que essa paranoia não podia ser “normal”.
Comecei a terapia para me entender e entender meu momento. Descobri que eu tinha medo. Como todas as pessoas no mundo, eu tinha medo. E como todas as mães do mundo, eu amava demais e os medos maiores são em relação a quem mais amamos.
Minha conclusão é que precisamos de ajuda. Precisamos nos entender após aquele momento sublime em que viramos mães. Não temos superpoderes, não somos perfeitas, vamos errar, coisas ruins vão acontecer, e muitas mas muitas coisas boas também. A paranoia até pode vir, mas ela não deve tirar seu sono.
A maternidade também é um caminho de auto conhecimento. É um momento de se redescobrir, de se redesenhar, e, esse momento é só seu. Você não vai conseguir no mesmo tempo que eu, com os medos que eu tive. Você vai conseguir se conhecendo, se superando. É um caminho único, mas semelhante ao de outras mães. Espero que a paranoia não te pegue como me pegou, mas se ela estiver por aí peça ajuda e acredite, você vai se livrar dela!
Gostou? Curta, comente, compartilhe

Anúncios

2 comentários sobre “Paranoia Materna

  1. Daniela Zanatto disse:

    É muito amor né Ariane! Natural que os medos cheguem. Eu tive muito medo do autismo também com o meu Biel! Eles são da mesma idade né? Eu lembro quando teve uma reportagem do Fantástico falando sobre autismo. Fiquei apavorada, porque eu enxergava nele alguns dos “sintomas”. Mas tenho uma amiga psicóloga, e falei com ela, ela me acalmou e disse que o meu Biel não tinha nada de autista, só eu estava enxergando isso kkkk… Nessas horas é bom mesmo a gente ir atrás. Terapia é tudo de bom!
    Um beijo!!!
    http://www.mamaeaprendiz.com

    Curtido por 1 pessoa

Conte aqui o que você achou do texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s