20 Minutos de Terapia – A crise de identidade pós materna

divan20minutospratudo20 Minutos de Terapia. Nosso novo espaço para nos entendermos no momento maternidade em que vivemos. Esse espaço era um sonho meu para o Blog. E uma pessoa super especial que conheci, acompanhei, me encantei, curti e recomendei veio participar de um cantinho super especial para mim. Veio contribuir para um ponto complexo demais pós maternidade. O ponto em que nós mães, mulheres, esposas, filhas, profissionais, nos reencontramos (ou buscamos nos reencontrar). Tudo muda após a maternidade e esse espaço aqui no Blog tem a pretensão de ajudar a você a achar seu caminho nesse novo universo que foi se meter…

Quero apresentar a Juliana Benevides, psicóloga, que me inspirou e me inspira muito e agora tenho certeza que vai inspirar você! A Ju começa hoje nossa coluna mensal de terapia. Falando justamente da crise de identidade, dos paradigmas, da bagagem nova que a gente começa a carregar no momento que descobre a gravidez!

Como esse é um espaço novo, e de auto conhecimento, queremos muito a participação de vocês! Nos enviem emails, comentem, nos digam que assunto precisa ser levado nesse divã. (Podem comentar aqui no blog ou enviar email para 20minutospratudo@gmail.com)

Bom, eu espero que você se identifique, se encontre, se redescubra e faça 20 Minutos de Terapia com a gente!!!

A crise de identidade pós materna

Tudo começa na gravidez quando você percebe que o seu corpo está fora do seu controle. Percebe gradativamente que o seu corpo deve compartilhar o ‘espaço’ com outro ser, você também, de repente, começa a receber milhões de sugestões e orientações de especialistas, amigos e transeuntes sobre como você deve (ou não!) comer, beber, trabalhar e viver. Além de muitas vezes não conseguir se relacionar com o seu bebê porque está acima do peso recomendado e isso ocupa sua mente com o sentimento de culpa, com sono interminável que parece doença para os outros, cansada de tudo e exausta em ter que escolher o quarto, as cores, o tema, o chá e tantas outras coisinhas mais. Convido você a perguntar para sua mãe ou até mesmo sua avó se isso tudo existia antes. Isso tudo incomodava ou não se tem apenas o relato dessas mudanças de forma tão clara e invasivas?

Sem dúvida, com a emancipação feminina, os direitos e as conquistas da mulher em todos os campos da sua vida fizeram algumas coisas mudar com o passar dos anos: a expectativas das mães são agora para menos filhos, mais tarde em suas vidas e, independentemente do seu nível sócio-educacional é provável que a maioria das mães trabalhem fora de casa, pelo menos em tempo parcial. As mães têm maior controle sobre sua própria fertilidade. As mães são seres sexuais. As mães estão preocupados com seu estado de saúde e formas. A maternidade não é mais só experienciada como a realização plena feminina final e não ter filhos também é uma escolha que deve ser respeitada.

Na paisagem pós moderna e nos estudos psicológicos durante os últimos anos relata-se um foco crescente na doença mental, distúrbios alimentares, ansiedade e depressão. Como manter-se fora de uma crise de identidade diante de tal experiência? A gravidez e a maternidade são as transições da vida fundamentais para as mulheres com seus próprios estágios de desenvolvimento, de modo que se tornar mãe aumenta o sentido de uma mulher de entrar na vida adulta e proporciona maior auto-conhecimento e senso de um lugar no mundo.  

Quer crise maior do que compreender e vivenciar a ambivalência e contradição da maternidade? Um dia você acha que não sabe o que é melhor para o bebê, horas depois, acredita que sabe, minutos seguintes chora porque tudo deu errado. É uma fase onde além das emoções estarem sendo testadas e vivenciadas em todo o seu potencial, os hormônios ampliam as sensações (boas ou péssimas) três vezes mais. Quer teste de sanidade mental maior? O bem-estar mental das mulheres exercendo a maternidade ainda é corroborado pelo isolamento social, pelo sentimento constante de culpa, pela ansiedade e o estresse de não se sentir bem o suficiente como uma mãe, esposa e profissional. 

Se você passou por esta fase e não sentiu nenhuma mudança, está tudo bem. O que posso afirmar é que esta “crise” acaba nos revelando enquanto mulheres e, mesmo adoecendo, conseguimos reconstruir e ressignificar a mulher que existe dentro de cada uma de nós. Muito se perde, muito se ganha, mas a transformação é inevitável (poderia ser menos dolorosa em alguns casos…) para conseguirmos exercer a maternidade.

O acompanhamento psicoterapêutico no pré e no pós natal é recomendado para dar o amparo e suporte que a mulher precisa. Apesar da gestação e maternidade terem semelhanças, cada mulher vivencia de uma forma diferente, pois sua história de vida, sua relação com seus pais, sua imagem corporal e atitude diante das pressões sócio-culturais e expectativas tornam seu momento único e intransferível. Sofrer diante dessas mudanças é natural, mas buscar apoio e ajuda é fundamental, inclusive para afastar  a possibilidade de doenças mais graves.

Tem alguma dúvida ou sugestão? mande para gente!

Abraço grande!

Juliana Benevides

Quer saber mais sobre  a Ju?

IMG-20150703-WA0058 (2)Juliana Benevides
Psicóloga CRP 17.844
email: julianabenevides@gmail.com
telefone/ whatsapp: 061 9138-3359
consultório: SRTV Centro Empresarial Norte, bloco B, sala 720. Brasília/DF
instagram: @juliana.benevides
facebook: psicólogajulianabenevides
 
Gostou? Divulgue para os amigos, curta, comente, compartilhe!
Anúncios

Um comentário sobre “20 Minutos de Terapia – A crise de identidade pós materna

  1. bborgesscarvalho disse:

    Ju, bem vinda. Mães são ambivalentes, são bipolares, querem tudo, querem nada. Que bom ter no respaldo de uma profissional, a oportunidade de encaixar as peças deste grande quebra cabeça que é a maternidade.

    Curtir

Conte aqui o que você achou do texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s