Vamos falar sério sobre alimentação infantil?

causas-obesidade-infantil20minutospratudoEsse é um texto pra falar sério sobre alimentação infantil e te fazer pensar. Vamos falar um pouco sobre porque hábitos alimentares saudáveis são tão importantes e porque devemos insistir neles.

Vamos primeiro pensar… Há 30 anos atrás, o cigarro era fashion. Não vazia mal, era até chique, charmoso. Quem não se lembra dos famosos cigarrinhos de chocolate que nós inocentes crianças ostentávamos fingindo fumar? Isso era uma grande apologia ao fumo, te pergunto? Existe mais desses por ai? Você compraria para seu filho? Você ofereceria um cigarro para seu filho hoje? É claro que não! Será sua resposta, mas me diz uma coisa, quem te ofereceu seu primeiro cigarro? Essa pessoa sabia o mal que o cigarro fazia? Provavelmente não. Agora se eu te disser que uma alimentação cheia de açúcar, gorduras, fast food, guloseimas e tudo mais faz mais mal que o cigarro? Você vai me dizer o que?

Conhecimento evolui, ciência evolui e essa minha comparação foi pra te mostrar que a máxima “Eu comi e não morri” não justifica nada. Você não morreu, mas a qualidade de vida decaiu. O excesso de peso, pressão alta, diabetes, colesterol alto, são doenças comuns de hoje em dia, tudo isso porque eu comi e não morri, ainda…

Há 30 anos atrás era raro uma criança ter colesterol alto, pressão alta, diabetes, gente, hoje as crianças estão cada vez mais entrando na “vibe” das doenças “comuns”. E me diz uma coisa? Desde quando é comum uma criança de 10 anos hipertensa? Mas é o que mais tem acontecido, e aí eu te falo? Quanto tempo o “Eu comi e não morri “ vai funcionar para essa criança?

Nossa! Precisa ser tão radical Ari? Preciso! Queria que aquelas cenas horrorosas atrás dos pacotes de cigarros, viessem também atrás dessas  embalagens de refrigerantes, sucos de caixinha, achocolatados, pacotes de bala, pirulito, batata frita, fast food e etc.

Mas falando sério por que é tão importante você criar hábitos saudáveis nos seus filhos? Porque por mais que você ache que é difícil criar o hábito, eu te garanto uma coisa: É muito mais difícil mudar o hábito.

Eu lutei e luto contra o peso ainda. É uma batalha difícil de alguém que tem uma relação complicada com a comida. Alguém cuja mãe o peito vazava leite mas a avó achava que não sustentava e dava mamadeira de leite de vaca com amido de milho e açúcar (E daí? Sobrevivi? Sim e com problemas de peso a vida inteira!). Tenho a obrigação de fazer diferente com o Biel. Tenho a obrigação pois tenho a informação que minha mãe e avó não tinham. Ninguém é obrigado a acertar sempre, mas é nosso dever tentar melhorar sempre.

Como falei no início, esse é um texto para te chocar, te tirar da zona de conforto, te fazer pensar. Eu sei que sua rotina é dura, que você trabalha 10, 12 horas por dia, que comprar uma lasanha congelada e por no microondas é mais prático. Afinal, pratos, papinhas e tudo mais industrializado veio para ajudar a vida das pessoas ocupadas (mentira),mas, preciso te dizer uma coisa: Ser mãe é difícil!

Não vou te julgar, quero que apenas você repense, reconsidere, mude sua forma de agir. Uma dose grande de açúcar tipo a de um copo de refrigerante, causa no cérebro a mesma reação química de uma droga tipo a cocaína. Sim, açúcar vicia! Quanto mais comemos mais queremos, o ciclo de dependência é o mesmo de um usuário de drogas ilícitas.

Há 30 anos atrás nossos pais ficavam felizes em fazer uma festinha e comprar um refrigerante para nos dar. Refrigerantes não eram baratos, era uma bebida de ocasiões especiais, aí todo mundo comemorava e tinha que ter o famoso refri! Hoje essa bebida que à proposito não tem nada de bom é relativamente barata, acessível e virou hábito, tem gente que toma mais refrigerante que água. E te pergunto: vale a pena insistir com o Refri?

Ah mas você pensa: Nunca vai poder um doce? O filho dela nunca comeu? Sim ele já comeu, sim ás vezes eu deixo quando saímos, quando tem uma festinha. É uma quebra de rotina, habitualmente ele come fruta como sobremesa, nunca tomou refrigerante ( o que evitarei o máximo que puder), frituras conto nos dedos quantas vezes ele comeu, não sou radical, tento ser consciente. Tento equilibrar.Se aceita um conselho, a palavra é equilíbrio! Vá equilibrando, se adaptando, mudando.

Mude sua forma de pensar, escolha, se adapte, melhore, se informe, pense que você não está criando um sobrevivente, está criando um ser humano, seu filho.

Para terminar a seção choque, vi esse vídeo há um tempo atrás e sei que ele vai te fazer pensar ainda mais

Anúncios

4 comentários sobre “Vamos falar sério sobre alimentação infantil?

  1. Fernanda Mendes disse:

    Excelente matéria Ari.. Penso exatamente assim, até relatei isto no poste do Pic nic do Miguel sem doces, refringente lembra?
    Adorei!

    ( fiquei aguniada com o vídeo!)

    Curtir

  2. Coisas da Lara disse:

    Ah!…. eu acredito master nisso, amiga. Aqui em casa, você já sabe…. furtas, frutas, frutas. À vista, o dia todo. Lara come de tudo, e fácil. Até quando ficou doente ano passado, pneumonia, comia. Tudo é hábito. As comidunhas divertidas ajudaram, e agora vamos mantendo. Papai aprendeu a comer legumes pra ela ver que a gente comia também. Eu adorei o texto.

    Curtir

Conte aqui o que você achou do texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s