Por que brincar é tão importante? (Sentir na pele faz crescer)

BRINCAR.minutospratudopngA última semana de maio foi dedicada à importância do brincar. Por que brincar é tão importante?

Brincar para criança é coisa séria. Brincando a criança desenvolve o raciocínio, a percepção, a imaginação, o conceito “causa e efeito”, brincando a criança aprende. Brincado a criança cresce. Brincando ela tem base para se tornar um adulto inteligente e criativo, com perspectiva do mundo, com inteligência emocional. Resumindo: brincar é o trabalho da criança!

Como pais, temos um instinto de proteção. Não queremos ver os filhos caindo, se machucando. Isso pode gerar um grande dilema para nós: como deixar brincar, sem se machucar? Como diminuir essa super proteção? O que fazer se a criança se machuca?

Outras questões nos dias atuais são: E as brincadeiras do nosso tempo? Como resgatar a “arte de brincar” como desenvolver atividades longe de computadores, tablets, video games, celulares. Como “desconectar” um pouquinho essa geração “plugada”?

Para responder a essas perguntas e mostrar o quanto é importante brincar a Takeda (uma das maiores farmacêuticas do mundo) responsável pela tão conhecida pomada Nebacetin, promoveu essa semana um encontro muito interessante com profissionais especializados em desenvolvimento infantil em um bate papo sobre  como “sentir na pele faz crescer”.

Nesse encontro estavam presentes o Dr. Anthony Wong, professor e diretor no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e diretor do Instituto Brasileiro de Estudos Toxicológicos e Farmacológicos. A fundadora do Instituto Brincante, Rosane Almeida e a Dra. Anelisa Lambert, dermatologista e integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology.

O Dr, Anthony Wong diz que as crianças deveriam brincar 90% do tempo! Segundo ele “adultos criativos dependem de uma infância com brincadeiras”, “como pais temos a obrigação de proteger os filhos minimizando os riscos para eles e não evitando que eles brinquem”. Por exemplo, a criança quando começa a engatinhar, quer explorar o mundo, pegar, sentir, colocar na boca, tudo que encontra. Temos que deixar que ela explore, mas minimizar os riscos para ela, protegendo quinas de mesas, tomadas, etc. Mas não podemos evitar que a criança engatinhe. Isso vale em todos os momentos, calculamos e minimizamos os riscos e deixamos as crianças se desenvolverem. Dr Anthony ressaltou o quanto algumas experiências são também necessárias, como cair para aprender a levantar. A criança aprende fazendo, até nos momentos desconfortáveis.  Outro ponto importante ressaltado por ele, foi a importância de se construir um brinquedo junto com a criança, fazer uma pipa por exemplo, “a criança dá muito mais valor ao que ela constrói”, ressalta. Foi dito por ele também sobre o estímulo para que a criança tenha seu momento de brincar sozinha, sem a supervisão ou participação de um adulto. Isso é para que a criança desenvolva sua criatividade. Quando brincamos com ela, temos a tendência de mostrar logo como as coisas “devem ser feitas” e isso acaba inibindo a personalidade dela.

Rosane Almeida ressaltou o quanto é importante o momento lúdico para a humanidade. As crianças estão crescendo sem brincar e se tornando adultos sem criatividade, mas é sempre possível resgatar o espírito lúdico para todos!

A Dra Anelisa Lambert, falou sobre os cuidados com a pele da criança, como proceder em caso de acidentes simples, quando devemos nos preocupar mais com um ferimento. O procedimento para ferimentos simples incluem: lavar bem com água e sabão, aplicar uma pomada e um curativo simples no local. Devemos nos preocupar mais com ferimentos mais profundos, em caso de desmaio ou vômito após quedas. Nesse caso o recomendado é procurar auxílio médico.

Sobre a era digital é um consenso para todos que os momentos “conectados” fazem parte na época atual mas devem ser dosados. É até importante para a criança que ela tenha rotina e horários para o uso de eletrônicos e internet. Claro que de maneira supervisionada! Fique do lado do seu filho nesses momentos, evite usar esses recursos como “babás”.

Foi um momento de muita aprendizagem para mim. Confesso que tinha receio de deixar o Biel brincar um tempinho sozinho, achava solitário para ele. Mas com a explicação do quanto é importante um tempinho só dele, fico mais aliviada.

Foi ótimo ver que o bom mesmo é aquela criança que tem um raladinho no joelho, um ´pé de moleque bem pretinho de sujeira no fim do dia, a criança que brinca, além de se desenvolver, come melhor e dorme melhor. Pois gasta energia, logo sente fome e sono!

Espero que você que está lendo esse texto tenha percebido o quanto é importante brincar!

Deixe seu pequeno (a) Sentir na pele! Isso faz crescer!

Informações sobre a Nebacetin em www. nebacetin.com.br

No site tem uma campanha bem legal chamada “Como se faz” que mostra como se faz um monte de coisa bacana!!! Vale conferir!

Gostou? Curta, comente, compartilhe!

Anúncios

Um comentário sobre “Por que brincar é tão importante? (Sentir na pele faz crescer)

Conte aqui o que você achou do texto!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s